Rinoplastia

Project Title Project Title

Rinoplastia

É a cirurgia que corrige as alterações anatômicas do nariz , modificando tridimensionalmente o ângulo de projeção das estruturas ósseas e cartilaginosas existentes na ponta ( globosa / caída ) e dorso nasal (giba / alargamento ).

Pode ser realizado a partir de 16 anos de idade aproximadamente, quando geralmente o desenvolvimento facial já é completo. Quando essa cirurgia for associada ao tratamento funcional do desvio do septo nasal será denominada de rinosseptoplastia.

Independente dessa associação, a busca da harmonia dessas estruturas deverá sempre considerar a plena função respiratória das cavidades nasais.

Assim , a cirurgia respeitará a anatomia e fisiologia nasal minuciosamente, de modo que tais modificações não interfiram na função nasal. A idealização do resultado deverá avaliar os demais elementos da face, considerando tamanho do rosto, dos olhos e supercílios, da boca, além de fatores genéticos e raciais, para que se consiga um equilíbrio perfeito de todos os elementos.

Fotografias de narizes que mostrem o formato que agrada ao paciente podem ajudar o cirurgião a compreender melhor às expectativas inconscientes do mesmo, servindo de base de planejamento e entendimento a ambos.

Basicamente nos narizes de formato adunco (dorso alto e curvilíneo) são empregadas técnicas que reduzem o tamanho das cartilagens e pirâmide óssea. Nem sempre é necessário fraturar essa estrutura, devendo-se mesmo evitar fazê-lo quando possível, o que permite uma recuperação pós-operatória mais rápida.

Nos narizes menos projetados e de base alargada, são usadas técnicas que aumentam a projeção do dorso e da ponta nasal através da remontagem das estruturas cartilaginosas e/ou colocação de enxerto de cartilagem , retirado do próprio septo nasal ou da cartilagem da orelha . O tamanho das narinas também pode ser modificado para melhor proporcionalidade do formato nasal.

Materiais não orgânicos e que a biotecnologia tem desenvolvido (endopróteses, PMMA, etc.) estão cada vez mais sendo propostos atualmente como alternativa à rinoplastia, mas a comunidade científica mundial ainda tem restrições ao seu uso rotineiro, embora possam ser indicados especificamente em alguns casos. A cirurgia bem realizada , é capaz de solucionar as diferentes situações.

Pacientes fumantes , obesos e/ou diabéticos têm risco aumentado de haver intercorrências cirúrgicas relativas às questões vasculares e cicatriciais. Entretanto estas condições não são contra-indicações absolutas à cirurgia.

O resultado definitivo da cirurgia será obtido com aproximadamente um ano e meio de evolução pós operatória, sendo influenciado pela qualidade da pele . Nenhuma revisão cirúrgica , quando necessário, deverá ser feita antes desse período.

Cicatrizes

Geralmente são posicionadas dentro das narinas e camufladas nas dobras anatômicas. Em alguns casos específicos é usada uma técnica denominada de rinoplastia aberta que utiliza, além das incisões dentro das narinas, uma prolongação das mesmas até a base da columela nasal . Isso permite uma exposição da estrutura cartilaginosa e do dorso nasal de maneira mais ampla, estando indicada para casos específicos.

Tornam-se praticamente imperceptíveis com a evolução. É rara a ocorrência de cicatrizes hipertróficas ou hiperpigmentadas nessas áreas, sendo influenciadas pelas características genéticas individuais .

Anestesia - Internação

O anestesiologista definirá a mais adequada ao caso. Geralmente é a anestesia local com sedação ou a do tipo geral , dependendo da extensão do procedimento.

O período de internação pode ser de 6 à 24hs

Pré-Operatório

Todos os exames clínicos e laboratoriais de rotina.

Avaliação otorrinolaringológica nos casos de desvio de septo com comprometimento funcional.

Avaliação clínica e anestesiológica.

Documentação fotográfica da área a ser operada.

Pós-Operatório

Uso de medicação antibiótica, antiinflamatória e analgésica.

Dolorimento local geralmente discreto.

Somente nas rinosseptoplastias poderá ser necessário uso de tampão intra nasal. Deambulação e banho no 1° dia.

Equimose palpebral em maior grau se tiver sido feita fratura óssea, por 10 dias.

Não há restrição à leitura e TV , embora a acomodação de óculos de grau sobre o molde de gesso plástico possa ser comprometida no início.

Restrições às tarefas do lar e dirigir por 10 dias .

Caminhadas a partir de 15 dias.

Ginástica em academia / hidroginástica após 30 dias .

Exposição solar geralmente após 3 meses.

Documentação fotográfica da região operada a partir do 8º mês.

Curativo e Retirada de Pontos

Molde de gesso plástico na 1º semana .

Modelagem com fita de micropore na 2º semana.

Os pontos utilizados internamente são absorvíveis, não precisando ser retirados.

Se for feito rinoplastia aberta ou nas reduções do diâmetro das narinas, poderá ser necessário retirar alguns pontos externos.

Após retirada completa dos pontos, iniciar massagens com cremes antiinflamatórios diretamente nas cicatrizes, durante 1 mês.

Dr. Roberto Sterza

testi4 rsterza@uol.com.br

testi4 +55 (19) 3294 2131

testi4 +55 (19) 3254 4621

Fale conosco